Tecidos: Como eles fazem diferença na sua roupa

As roupas e os tecidos estão tão presentes em nosso dia a dia que muita vezes nem percebemos a importância de escolher roupas com tecidos bons. A história dos tecidos data desde o período pré histórico e, desde que foi inventado, os tecidos se tornaram fundamentais na imagem que passamos à primeira vista. O linho, por exemplo, era usado para embalsamar os corpos do faraós no Antigo Egito, isto era um sinal do seu poder. Este tecido foi capaz de conservar os corpos dos faraós durante todos estes milênios.

O caimento de cada um

Cada tecido possui uma característica específica, que resultam em um caimento ou numa aplicação própria. Muitas vezes encontramos uma roupa legal, mas, quando provamos, é como se algo estivesse errado. Quando isso acontece, pode ser por conta do tecido não ser adequado ao modelo.

Fibras que são extraídas de plantas (como linho, cânhamo e algodão) geram tecidos mais ‘rústicos’ quando são fiados sozinhos, isto é, sem nenhuma outra fibra. O algodão em sua versão plana (como o tricoline), é ideal para camisas sociais e peças que precisem de estrutura. O linho e o cânhamo dão a peça um toque natural e rústico, ficando incrível em peças usadas à beira-mar ou ainda em peças fluidas, mas que necessitem de algum peso. Quando misturadas com tecidos como viscose, essas fibras ganham mais leveza e um visual sofisticado.

A seda é um dos tecidos mais nobres. Por ter um custo elevado e ser delicado de confeccionar, é usado geralmente por marcas de luxo. Esta fibra natural é a mais resiste, ou seja, ela se torna uma peça de alta durabilidade. Sua maiores características são o brilho e a sensação de ‘toque zero’. Ela pode servir de base para vários tipos de tecido (como cetim, crepe, tafetá). O cetim de seda fica incrível em camisas, camisolas e vestidos. Ele dá um resultado sensual e sofisticado ao look. Os tecidos mais firmes como tafetá são ideais para vestidos estruturados, blazers e saias. Por tem um brilho acentuado, são facilmente utilizados nas roupas de festa.

Tecidos de fibras artificiais

Os tecidos como liocel, modal  e viscose são fibras artificiais. As fibras artificiais são produzidas em laboratório, mas seu principal componente é a celulose, um substrato vindo da casca de árvores como eucalipto. Este processo faz com que essas fibras tenham algumas características dos tecidos naturais (deixam a pele respirar, por exemplo) e sejam mais duráveis assim como as fibras sintéticas.

O liocel (ou tencel) tem como principal característica o brilho. Este tecido deixa a roupa com ar elegante. O seu brilho discreto, é ideal para peças como blusas, saias e vestido que precisem de leveza e classe. Já o modal é um tecido extremamente absorvente (50% mais que o algodão!). É muito macio e permanece assim mesmo após várias lavagens. Ideal para lingeries e roupas para dormir. Na moda, usamos o modal para fazer camisetas e regatas descontraídas. Com seu caimento leve e seu alto poder de absorção (que deixa a pele respirar) se tornam uma ótima pedida para os dias mais quentes.

A viscose é um dos tecidos de fibras artificiais mais utilizados atualmente. Por tem um custo mais baixo e um caimento fluido, ela se tornou uma excelente opção para diversas peças, indo de camisetas básicas a roupas volumosas e cheias de detalhe. Geralmente os tecidos de viscose tem a trama mais aberta, podendo desfiar ou ‘puxar fio’ conforme o uso.

A fibras sintéticas

Essas fibras são derivadas do petróleo e são consideradas sintéticas pois tem seu processo feito 100% em laboratório. Por terem um custo baixo de produção e uma enorme variedade de usos, os tecidos sintéticos se tornaram os tecidos mais usados hoje.

O principal tecido que representa as fibras sintéticas são os feitos de poliéster. O poliéster tem como característica a solidez de cor (não desbota), não amassa e pode imitar diversas fibras, sendo facilmente confundido com fibras naturais. Ele não amassa, o que faz ser uma excelente pedida para quem precisa de praticidade. Seu principal ponto negativo é: ele não deixa a pele respirar! É como se estive usando uma ‘capa plástica’ quando usamos uma roupa de poliéster. Por conta disso, peças com esse tecido pode deixar um cheio desagradável para quem usa.

Conhecer cada umas das fibras que compõe o que vestimos, faz com que passemos a fazer melhores escolhas na hora de comprar. Quando você sabe o que cada fibra tem a oferecer, fica mais fácil se vestir!

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Quick Shop